escrevendo
Deixe um comentário

isso aqui é bem brasil.

passei a última semana em um lugar onde a comida não faltou, mas posso dizer que é racionada, a cama mesmo pra mim que era de fora, também foi compartilhada. estava num lugar que mesmo tendo energia elétrica o banho é sem chuveiro, é frio. estava em um lugar onde chega o gás de cozinha mas o almoço é feito mesmo no fogão a lenha. estava num lugar onde muita tem gente tem celular, mas nem pense que é iphone – é dos modelos simples mesmo.  estava num lugar onde o poder econômico não permite o ir e vir das pessoas. estava num lugar onde quem tem pouco é porque o gavião pegou os pintinhos ou o porco morreu, e recebe do governo duzentos e dez dinheiros. e quem tem muito recebe oitocentos. estava em um lugar que todos tem casa mas não são donos da terra. estava num lugar que podia ser cuba, lá já estive também. mas nesse lugar o pé de quem foi picado por cobra ficou “ofendido” pois a reza só deu pra salvar a vida, nesse lugar quando pergunto se sabem escrever a maioria das respostas é: aqui falta leitura, até sei ver a letras mas só sei juntar quando tem que firmar o meu nome no papel” podia se cuba mas é brasil. estive uma semana vivendo entre os meus, que sabem na pele o que é preconceito, que sabem que a lei aurea não foi nada mais que um papel, que o orgulho negro é herança de mae e pai pra filhas e filhos, sabem que a tradição é o que nos une a uma terra. nesse lugar o povo sabe muito de política pública e da falta dela. o povo desse lugar ficou feliz quando eu disse que votei na izidora pra prefeita e se algum dia eles romperem o poder econômico e romperem também as barreiras do territórios eles querem conhecer a prefeita eleita de bh. o povo de lá sabe que os mais velhos podem não ver as vitórias, mas empurram seus filhos pra fora com as forças que tem. uns filhotes saíram de lá sábado a caminho de outro preto num passeio que a professora organizou. pra ir tinham que conseguir quarenta dinheiros por pessoa para ter a passagem de quase dia de viagem comida e pouso. esse passeio era pros alunos, mas quando sobrou vaga quem ocupou foram as cantineiras, lágrimas. ajudei com vinte dinheiros a uma menina a sonhar, eu podia dar mais mas não era preciso, eles sabem o valor de tudo. e a amizade que fica não pode ser medida por dinheiros, fica pelas sacas de biscoito e ajuda para fazer as misturas ….  sei que ajudei a dar assas a gente desse lugar, e o que recebi foram sonhos concretizados. isso aqui é bem brasil.

Anúncios
Este post foi publicado em: escrevendo
Etiquetado como:

por

andeira que sou ando. ando, escrevo, leio e curto a estrada. de pés descalços vou seguindo a vida, abrindo a janela quando chove e com uma mala sempre pronta pra seguir. Partir é parte do caminho e chegada nem sempre o fim.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s