escrevendo, laranja
Deixe um comentário

não ao estado mínimo de direitos

Nossos direitos nos foram negados por tanto tempo que as vezes tenho a impressão que nós estamos nos contentamos com pouco. Pouco avanço pra muita dívida.

Não ao estado de mínimo de participação

Não ao estado mínimo de fala

Não ao estado mínimo de planejamento

Não ao estado mínimo de questionar as burocracias

Não ao estado mínimo de radicalidade

Eu sou pela máxima de direitos.

E por falar em direito, não sou advogada e não sei de outros significados que o termo estado mínimo possa ter, então conto com a generosidade de quem me lê, que me ouça pelo que eu digo e não pelo que está escrito na cartilha que eu desconheço. Não ao estado mínimo de paciência para ensinar e partilhar.

não sou meia, sou parte e sou todo.

Anúncios
Este post foi publicado em: escrevendo, laranja
Etiquetado como:

por

andeira que sou ando. ando, escrevo, leio e curto a estrada. de pés descalços vou seguindo a vida, abrindo a janela quando chove e com uma mala sempre pronta pra seguir. Partir é parte do caminho e chegada nem sempre o fim.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s