escrevendo, laranja
Deixe um comentário

a cidade que eu quero

A cidade que eu quero tem urgências que não são as minhas

A cidade que eu quero escuta e constrói junto

A cidade que eu quero não tem medo errar, mete as caras e radicaliza

A cidade que eu quero olha pro lado e não pra cima.

A cidade que eu quero não negocia com PM o trancamento de rua – pois os opressores não negociam a violência.

A cidade que eu quero, enfrenta.

A cidade que eu quero não negocia privilégio, denuncia.

A cidade que eu quero não recebe favores, recusa.

A cidade que eu quero não negocia direitos, exige.

A cidade que eu quero não recebe convite pra festa popular, ocupa.

A cidade que eu quero, ouve

A cidade que eu quero, fala

A cidade que eu quero não decepciona

A cidade que eu quero é a cidade que queremos.

Anúncios
Este post foi publicado em: escrevendo, laranja
Etiquetado como:

por

andeira que sou ando. ando, escrevo, leio e curto a estrada. de pés descalços vou seguindo a vida, abrindo a janela quando chove e com uma mala sempre pronta pra seguir. Partir é parte do caminho e chegada nem sempre o fim.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s