há alguns meses conheci o [_oclb], grupo de gente da área de entretenimento, e nesse tempo sem tempo, eles tem sido o meu tempo de olhar pro mundo por uma janela bem boa. ja convidei muita gente pra vir comigo, mas o tempo é de cada um. eu por hora sigo, conectando meus pontos com essa turma! aprendizados do mês de junho20

“o vazio está cheio de reflexões”, essa frase de Martin Giraldo [@indigenadigital] foi um marco na minha aprendizagem deste período.

assim como a música tem compassos / tempo e contratempos, precisamos achar o nosso contra-tempo na vida. precisamos parar. mas parar de verdade e conectar com novas energias e novas forma de viver e transformar esse mundo. não podemos resistir (perder energia) temos que transformar.

o que passou é passado, e está conectado diretamente como o que somos hoje no presente (positivo e negativo) e o hoje vai moldar o nosso futuro.

acredite – o que podemos mudar está no aqui e agora, e assim  me conecto com o encontro com Gustavo Nogueira [@gustnogm @torustimelab

nessa hora parou tudo. tempo

além do pensar o COMO precisamos pensar também o QUANDO

esse pra mim é o mesmo tempo do Martin,

o tempo do respiro –

o tempo de voltar a ser coletivo.

de ter como na música ancestral o protagonismo e ação de todos, o circular verdadeiro, a integração de fato.

em contra ponto as falsas métricas de ativação e engajamento medidas em leeds ou likes somente.

e aí vem  denis bonaqua e traz uma possibilidade, que tal olhar pra TV de antes e ver como fazer eventos que prendam a atenção das pessoas em frente a uma tela. gente isso já foi feito

eu achando que os três acima, tinha acertado no caminho – do tempo, da conexão e do tempo (espaço físico)  na presença física como fator importante – quase imprescindível.

ai chega a outro tempo, o tempo do digital que nasceu com esse DNA, chega a turma do Omelete pra falar de Games. 

Fabio Reis e Beto Fabri abrem uma porta que sempre soube que existia – mas que não tive interesse de abrir. Passei o encontro todo buscando no google os termos usados para falar das experiências … entendi pouco!

então me conectei com a fala do Gabriel Temponi da Sympla, que disse: “Respeitem os dados e importem-se com as pessoas,” quando a turma do Omelete trouxe uns dados que indústria dos Games é a soma da música e o cinema juntos … eita preciso respeitar esses dados – fui la, e abri essa porta. porta igual a da Porta do Fundos, que o Crocas falou no seu encontro sobre comunicação e estética. Games – comunica com uma estética própria,

sou designer_ experiência pra mim é sinônimo de vivência _ então fui lá viver esse trem.

falaram dos tals dos shows dentro de ambientes de jogos virtuais, eu sábia que não bastava eu entrar num jogo e ver qual é – eu não sairia do lugar. Fui então assistir videos de alguns streamers de gamers que fizeram o os show do Travis Scott

GENTE é interação em outro nível! e do lado de cá o pessoal pedindo comentário em live do instagram …

ai volto no tempo do  do Gustavo Nogueira – é isso, presente – passado e futuro – coexistem …  e os buracos de minhocas … do big ban até hoje. conecto com minha primeira leitura que me recordo sobre esse tema, no livro Uma Breve História do Tempo, de Stephen Hawking, uma leitura que em outra época da minha vida, também me fez parar e pensar, junto com livro Tuareg, de Vazquez-Figueroa, com ética e tempo se misturando num vendaval de areia no espaço…. voltando a me conectar com o o aqui – presente.

então é isso, enquanto tem a turma dos Games, anos luz a frente no quesito digital, interação, “hiper realidade” tem gente pedindo coraçãozinho no insta! tá tudo certo, é assim que é o mundo.

mas as portas estão ai, pra quem quiser abrir. e o tempo pra fazer mudança é o agora. olhando o pasado – fazendo o futuro chegar. agora é o tempo em que preciso colocar ação.

o tempo não é linear – mas podemos nos localizar no tempo

e nessa não linearidade, vi também a cultura do cancelamento com Dani Rodrigues, suas consequências e principalmente suas motivações muito pouco construtiva e muito impulsivas. falta coerência, pois afinal segundo ela”causa” não é uma peça de roupa para usar conforme o calendário. 

falando de causa – conecto com o último encontro do mês com GUGA RAHNER, (Grupo UMAUMA) [@gugarahner_kovec]. SILVIO MARANHÃO, [@silviomaranhao], que mandar um recadinho, lindo fofo e colorido.

MARCAS, façam mais no dia a dia pela comunidade LGBTQIA+, pra ter o que falar em junho!

junta isso com a fala da Bia Granja que Influência é relevância é verdade. então bora ser relevantes! inspirada com a fala de Maíra Miranda [@mecalovemeca] meu lema “eu sou quem gostaria de ser”

próxima hora – próxima era

desta forma e nesse compasso de espera, vamos olhar o nosso futuro que é o passado da turma da Espanha, como foi falado no encontro com MATTHEW HOAG, [@elrow] la pode ser o nosso futuro.

verdadeiras experiência, sejam elas de ação ou de vazio.

[reflexões e conexões minhas sobre a fala destas pessoas, livre sou para interpretar]

Author

andeira que sou ando, escrevo, leio e curto a estrada. de de pés descalços vou seguindo a vida, abrindo a janela quando chove e com uma mala sempre pronta pra seguir. partir é parte do caminho e chegada nem sempre o fim! andeira costa

Write A Comment